quarta-feira, 13 de maio de 2009

Escritos numa sexta, observado pelo bandeirante paulista implacável

Deus, hoje é sexta-feira e o que eu mais gostaria de ver, a imagem que visualizo desde as primeiras horas da manhã é essa: os ponteiros do relógio de parede, seríssimos, solenes, mortos na posição belíssima em que o maior está cravado no doze e o menor no cinco.

Eu sigo cantando baixinho, no caminho até o banheiro e na volta até meu pecê: "Mas chegou o carnaval/E ela não desfilou/Eu chorei na avenida/Eu chorei"

O café agora divide-se entre "fraco" e "forte". O "forte" tem sabor de chá. O mijo dos gatos vira-latas da Presidente Vargas eles chamam "fraco".

Sinto azia até se eu ingerir ar demais pela boca.

Tem uma frieira no meu pé esquerdo que grita quando está com sede e gargareja quando estou no banho. E se alimenta da pele entre os dedos do pé, obviamente.

O Benito di Paula é de Nova Friburgo, o Marcelo Camelo mora em Copacabana, eu nasci em Bonsucesso e nós três nunca nos esbarramos pelo centro da cidade. E creio que dificilmente combinaremos algo assim um dia.

A mulher do vigésimo andar do Delamare está fumando agora, dez e nove. Blusa branca, olhando para o fluxo que corre inclemente pela Avenida Getúlio. Acho que ela não me vê. Vou trazer um cartaz qualquer dia desses.

Visitar o Sr. Nilcom é chato quando se está com calor demais, azia demais, chocolate demais, projetos demais e, mesmo assim, nada demais.

Gostaria muito de ter gravado toda a letra de "Stuck inside with the mobile", Blonde on Blonde, 66, pra desenhar sua bonita melodia por aí. Mas só sei as duas primeiras estrofes e o refrão. Dá pra alguma coisa.

Preciso de um violão de bolso, dobrável, claro. Remunero bem os projetos viáveis. É sério. Respeito as contingências que a física impôs ao nylon e à madeira, mas é questão de desejo, tanto e somente.

Aliás, o desejo é a menor não-unidade indivisível de qualquer coisa que te leva a ter como objeto desenfreado do querer uma coisa qualquer no mundo.

Bye, Nilcom.







P.S.: Para saber mais sobre Nilcom, mande um e-mail para markthebeatle@hotmail.com , tendo no campo do assunto a palavra "NILCOM". You're a lovely audience.

4 comentários:

;-) disse...

Mesma sintonia!? Vc acha isso mesmo???? rs

"Tem uma frieira no meu pé esquerdo que grita quando está com sede e gargareja quando estou no banho. E se alimenta da pele entre os dedos do pé, obviamente"

ADOREI ESSA!

Natália A. disse...

Belo texto!

Cáah disse...

Olá, descobri seu blog e to passando pra dar um ‘oi’ e te convidar pra uma visitinha lá no meu. Venha rir um pouco e perceber como o mundo é bizarro.
Comentários e seguidores são mais que bem vindos. Beijoos
http://caahentrenos.blogspot.com/

Ana Fernandes disse...

Até que enfim, uma atualização! E veio das boas!
Já ouviu "Tom's dinner", da Suzanne Vega? É esse seu post - lindo! - cantado.
Beijocas.