sábado, 13 de setembro de 2008

A morte trágica de Dom Porcone, assistida por quem quisesse ver

- Porcone? – sussurrou o garçom, Mario Querubino, atrás do vultoso cliente.
- ...

Dom Porcone suava como se todos os seus poros mijassem sobre a blusa de botões relutantes e resistentes, criando poças assimétricas por todo o tecido, que exalava o aroma de gordura derretida por todo o perímetro porcônico.
Mario Querubino lançou. E lá se foi um prato com dobradinha, couve, feijão preto de ontem e arroz branco de agora há pouco, entre o pescoço e o colarinho. O prato fez um barulho rude na mesa do shopping, mas não quebrou, só fez um “PSIU” pra quem passava por ali e pros que estavam sentados.

- Isso é pra você parar de ser assim, seu montaréu de betume.

- Ah, filho de uma puta, garçonzinho desgraçado, eu conheço o Orlando, vou falar com ele agora, você está fodido, me acredite que está!

Dom Porcone de pé, dezenas de curiosos ao redor do Deque do Pirata, a mancha de feijão no peito, e o rabo muito bem posicionado entre as pernas, punhos cerrados, boca cerrada, olhos cerrados, calor do cerrado, o ódio queimando feito óleo.

Zune um botão, assitido por todos, até o final de sua trajetória.

Porcone parece maior.

Outro botão.

Três. Plaf-Pleigh-Plough.

Porcone inchava, aumentava suas dimensões à razões descabidas de mencionar aqui, estava já nos seus dois e setenta de altura, a largura já havia sepultado os três metros, e mais, a pele estriando-se em rasgos vermelhos, três e quarenta, o papo inchado e sem palavras, a roupa em trapos no chão, todo o shopping chocado com o inchaço crescente, quatro metros, Querubino erguendo os olhos quase até o teto para acompanhar aquele balão de pêlos se avolumar no corredor da praça de alimentação, POU.

De volta ao trabalho.

E todos sujos de merda.

8 comentários:

Sabrina disse...

como vc é mau! matar o sujeito assim.... =P

beijos!

Anônimo disse...

Hey... Andei dando uma olhada no seu blog. Gostei bastante dele. Muito legal mesmo. Parabéns!

Raquel Pinheiro

Liquificadorizando disse...

Parabéns pelo blog!

Abraço

Alexandra Periard
http://alexandraperiard.blogspot.com/

Silvia 'Sam' Cássivi disse...

hmmmm li duas vezes mas não entendi.
tsk tsk tsk

Roque Rascunho disse...

alou, compadre! minha visita foi a de n° 500! abç!

Mary West disse...

Cruel! :D

Mary West disse...

Pq somes? ;)

Lisa disse...

Lembrei de uma cena do The Meaning Of Life, dos Monty Pithon.
Mas naquele caso o sujeito esplodia por causa de um "último pedacinho"!
Gula, não ira. ;P