quinta-feira, 31 de julho de 2008

Invocando Nilcom

- Olá, senhor Nilcom!
- Arrã, arrãm, o que deseja, garoto?
- Ahn, eu gostaria, se possível, que o senhor me tornasse escritor.
- E se não for possível?
- Eu quero que assim seja, do mesmo jeito, como eu sempre quis tudo aquilo que nunca era possível.
- Muito bem. Então ponha a mão sobre a maçaneta e mentalize, vamos lá.
- ... , ... , ...
- Agora levante deste trono e escreva!
- Mas... já? Eu sou agora um escritor?
- Sim, você o é, tanto quanto Nilcom eu sou! Levante já daí e escreva desesperadamente, pelo resto de sua vida, garoto!
- Obrigado, muito obrigado, senhor Nilcom!

E assim que saí de dentro daquela cabine de brancura impecável onde deixamos sempre as nossas máculas, sorvi o ar geladinho que me rodeava e tornei-me, definitivamente, um escritor.

2 comentários:

Mary West disse...

Hahahahaha eu quero tb, sair escrevendo desesperadamente. Naum deve ter meio melhor de ganhar a vida. ;*

Layana Lossë disse...

dá o endereço desse moço? :)