segunda-feira, 23 de junho de 2008

= A =


A, letra, palavra, aberta assim, enfrenta aí ou aqui qualqueeeeeeeeeeeer PA Ra Da porque só sa-be dizer assim de cara e fala todos os aaaaa e eeeeeeeee e mais ainda, é claro, os aaaaa, pois é chave, ele não fecha nada, repare, aaaaah, viu? Eu vejo todos os “A” com distinta vista, magna carta assim não se chamou à toa, e não haveria tanta pompa, tantas assim que sejam, de acentos e crases, não fosse a ágata que é a letra primeira, não sei se neste distinto caso de ser, se o posto deriva de causa ou de efeito, de fato, eu cá nada sei mesmo, mas com um “a” em cada nome, me esquivo de ficar por qualquer canto, à esmo, o sucesso é uma escolha, sim, e por não escolher, é que se torna o porco torresmo, veja bem, não lhe é dada a letra, aaah, passagem certa, entrada, saída, sim, o que chama e manda, que diz “Cá!” e “Vá!”, acorde com sétima e quiçááááá também a dominante, permite o começo e o fim ao mesmo instante, sim, não há freio, pela rima diria que com o meneio, fico tonto, e o último que cá estiver, por obséquio, coloque aqui, o ponto.


3 comentários:

Mary West disse...

A imperativo e mandão. Não é A toA que me chamo AlessAndrA. Uma grande concentração. :D

Lígia Carvalho disse...

Que confusão organizada tu conseguiste fazer.
Cá está
Nos divirta
Com a letra A.

Davi disse...

Créu!
quer dizer CRÁÁÁU!